7 Tipos de Inspeção de Segurança e seus objetivos

A Inspeção de Segurança se encaixa perfeitamente na expressão: “Melhor prevenir do que remediar!”. Ela faz parte de uma etapa fundamental para tratar de possíveis riscos em um ambiente de trabalho.

A inspeção serve para detectar e realizar análises destes riscos ocupacionais. É essencial para que as empresas possam adotar medidas de prevenção depois dessa etapa.

Tudo isso tem a finalidade de proteger o trabalhador no seu ambiente de trabalho enquanto ele exerce suas funções.

Veja, a seguir, quais são os tipos de inspeção que existem no mercado e aprenda a criar uma checklist de sucesso.

O que é Inspeção de Segurança no trabalho?

Conforme o site do governo, a Inspeção de Segurança se trata de uma visita técnica feita para vistoriar e testar equipamentos e maquinários em locais de trabalho.

Tipos de Inspeção de segurança

Para solicitar a inspeção, deve ser feita a comunicação da situação ou condição da empresa, de máquinas e equipamentos, ferramentas, entre outros, que podem ocasionar riscos para os trabalhadores.

Essa comunicação pode ser feita através de e-mail, comunicação interna ou memorando. E, as normas regulamentadoras são da Portaria 3.214/78 do MTE.

O e-mail é sesao@inmetro.gov.br e o telefone (21) 2679-9388. 

Qual o principal o objetivo da Inspeção de Segurança?

Os objetivos da Inspeção de Segurança são: Avaliar e investigar serviços, produtos e/ou ambientes a fim de detectar possíveis condições perigosas, que possam gerar acidentes no ambiente de trabalho e doenças ocupacionais.

O público-alvo da inspeção são os servidores, empregados das empresas contratadas e bolsistas do Inmetro, incluindo ambientes de trabalhos internos e externos, podendo ser atividades de rotina ou não.

7 Tipos de Inspeção de segurança e suas características

Para não restar dúvidas, existem sete tipos de Inspeção de Segurança, cada uma com um propósito.

checklist de Inspeção de Segurança no trabalho

Veja a lista logo abaixo:

  • Inspeção Periódica: Realizada dentro de um período determinado e detecta má condição dos equipamentos. Algumas delas são determinadas por lei.
  • Inspeção de Rotina: Realizada com frequência e serve para detectar problemas do cotidiano. Pode ser chamada de diária também. E incorporada na rotina de todos os profissionais como membros da CIPA e profissionais da área de meio ambiente.
  • Inspeção Eventual: É o contrário de inspeção de rotina. Não tem data para a realização. Pode ser executada por vários técnicos e objetiva controlar problemas importantes que surgirem.
  • Inspeção Geral: Envolve todos os setores da organização. Quem participa dessas inspeções são médicos, técnicos de segurança, engenheiros, assistentes sociais, membros da CIPA e técnicos ambientais. Elas devem se repetir com regularidade.
  • Inspeção Especial: Realizada em situações especiais, que exijam mais atenção. É mais técnica e minuciosa. Necessita de profissionais, equipamentos e aparelhos especiais.
  • Inspeção Oficial: Realizada por órgãos externos, podendo ser públicos como o Ministério do Trabalho e Emprego ou privados como as agências de seguros.
  • Inspeção Parcial: Realizada somente em alguns setores e para atividades específicas que apresentam problemas. A análise feita é bem minuciosa e focada naquele setor.

Dicas para criar um checklist de Inspeção de Segurança

Com certeza você já percebeu que, quando alguém cria uma checklist – lista de tarefas – o dia rende mais e o projeto se conclui até mais rápido do que o esperado.

Antes de tudo é importante entender qual o contexto que cada empresa e cada profissão se encaixa, depois pode ir direto para as tarefas.

E, ao final de cada etapa o responsável diz que foi finalizada e o sistema aciona as próximas etapas com os respectivos responsáveis.

Sendo assim, confira dicas valiosas para ajudar a criar a sua checklist de Inspeção de Segurança:

  • Máquinas: Se for inspecionar maquinários, observe e teste luzes, freio, abastecimento e todos os outros fatores que podem impedir o funcionamento da máquina ou possam causar acidentes na hora do funcionamento.
  • Equipamentos: No caso dos equipamentos, aqueles que são considerados são os EPIs – equipamentos de proteção individual. Eles são obrigatórios conforme a lei e podem variar entre sapatos, luvas, capacetes etc.
  • Ferramentas: Já as ferramentas, elas são mais fáceis de serem verificadas. Elas devem estar em condições de uso. Se houver algo suspeito, elas devem ser trocadas ou mandadas para reparo.
  • Procedimentos: Nesta parte, tenha em mente os procedimentos padrões das linhas de atividades. A partir daí, observe se eles são executados da forma correta ou se há alguma falha. Tudo deve ser anotado.

Viu como é fácil? A Inspeção de Segurança não é para ser algo difícil e de quebra ainda protege o trabalhador contra acidentes.

Deixe um comentário