8 maneiras de evitar um acidente de trabalho que vão mudar seu jeito de agir

Atualmente o Brasil ocupa o 4º lugar dentre os países que mais possuem acidente de trabalho de acordo com um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A cada dia que passa, é percebido o quanto são indispensáveis as medidas de prevenção e cuidados que os colaboradores precisam ter durante a sua jornada de trabalho.

De acordo com uma outra pesquisa realizada pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, a cada 54 segundos é possível ocorrer um acidente de trabalho.

Eles podem ser de baixa intensidade ou um acidente grave, que pode causar sequelas e até mesmo o falecimento do trabalhador dentro da empresa.

acidente de trabalho

Mas o que empresas e empregados podem estar fazendo para diminuir estes números e minimizar os riscos de acidentes aos quais são expostos durante o trabalho?

Algumas maneiras de agir e pensar podem ser a chave para cuidar de sua integridade física.

Preparado para conhecer mais sobre acidente de trabalho e como evitar?

Conheça a seguir 8 maneiras de evitar acidentes de trabalho que vão mudar o seu jeito de agir e trazer muito mais segurança para o dia a dia no trabalho. Confira!

O que é considerado acidente de trabalho?

É considerado um acidente de trabalho quando o exercício do trabalho resulta em um dano temporário ou permanente de acordo com a base do artigo 19 da lei 8.213/91.

Este dano pode ser uma perturbação funcional ou uma lesão corporal no trabalhador, podendo causar redução permanente ou temporária de sua capacidade de execução da atividade profissional ou até mesmo a morte.

Entende-se como perturbação funcional a perda do funcionamento de algum membro ou órgão. Já lesão corporal é quando há a agressão a qualquer parte do corpo eu lesione algum membro ou órgão do trabalhador.

Se qualquer um desses danos ocorrer ao colaborador, é caracterizado como um acidente de trabalho.

Tipos de acidente de trabalho

Os acidentes de trabalho foram subdivididos em 3 categorias a fim de auxiliar a perícia médica no momento da análise do caso.

Também serve como uma garantia de que o ocorrido se deu de fato a um acidente de trabalho.

De acordo com a CLT temos como tipos de acidente de trabalho o:

  • Típico;
  • Atípico; e
  • De trajeto.

Os acidentes típicos são aqueles que são bem comuns de se encontrar no mundo corporativo.

Pode ocorrer durante o expediente do trabalhador, no local de trabalho ou em seus arredores.

De forma generalizada, este tipo de acidente de trabalho ocorre por conta de ação e reação. Negligência, imprudência e até mesmo as causas naturais do ambiente podem causar este tipo de acidente.

Os acidentes atípicos são aqueles mais difíceis de ocorrer, ocorrem de forma específica.

Podem ocorrer devido a repetições de atividades e até mesmo através de uma doença que o colaborador adquiriu anteriormente devido a sua função.

São exemplos de acidentes atípicos:

  • Acidentes que ocorrem durante o período dedicado à alimentação e descanso do colaborador.
  • Agressão;
  • Contaminação durante o trabalho; e
  • Sabotagem

Este tipo pode ocorrer durante o deslocamento do trabalhador de sua casa para o trabalho ou do trabalho para casa.

É considerado mesmo ele estando em seu veículo particular ou em um veículo público.

Quando e como deve ocorrer a comunicação de acidente de trabalho?

De acordo com a lei, qualquer tipo de acidente deve ser comunicado, até mesmo aqueles não tenha tido nenhuma gravidade, consequência, afastamento ou incapacidade.

Conforme o artigo 22 da lei 8.213/91 é preciso que a empresa comunique a Previdência Social até o primeiro dia útil ao ocorrido com o trabalhador.

Em situações em que há a falência do mesmo, ela deve ser comunicada de forma imediata.

O documento a ser emitido após o acidente de trabalho é chamado de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT).

Possui o objetivo de realizar a comunicação sobre o ocorrido ao INSS, valendo para qualquer tipo de acidente de trabalho.

Não é somente a empresa que pode realizar este documento. De acordo com o artigo 358 da IN-45, além da empresa o próprio acidentado ou algum dependente também pode realizar o seu preenchimento.

No caso de prestadores de serviços ou trabalhadores avulsos, o preenchimento do CAT deverá ser de responsabilidade do sindicato da categoria, órgão gestão de mão de obra ou da empresa tomadora do serviço.

O diz a lei sobre estabilidade na empresa por motivo de acidente de trabalho?

Ainda com base na lei 8.213/91, no artigo 118 é dito que o empregado que passou por um acidente de trabalho possui a estabilidade de 12 meses contados a partir do encerramento do auxilio doença acidentário.

o que é acidente de trabalho

8 Formas de evitar acidentes de trabalho que você precisa conhecer

Sabia que é possível trabalhar e não se sujeitar aos riscos expostos por suas atividades? Até mesmo em trabalhos de alto risco?

Com cautela e foco é possível exercer até as mais perigosas funções sem correr risco de sofrer algum tipo de trabalho. O

maior segredo é conhecer os seus limites, o ambiente de trabalho e os riscos de sua função.

Dicas simples e que você deve adotar para o seu dia a dia no trabalho. Conheça a seguir 8 formas de evitar acidentes de trabalho

1 – Mantenha sempre o foco em seu serviço

As distrações são uma das causas mais comuns relatadas sobre causas de acidentes de trabalho.

Muitos funcionários acabam se distraindo com o celular ou até mesmo conversando e brincando com companheiros de equipe.

É neste momento que o pior pode ocorrer, principalmente para aqueles que trabalham em serviços de maior periculosidade.

Um acidente grave pode acontecer em uma fração de segundo. Se você está se notando disperso de sua função, pare de executar sua tarefa até se recompor.

Não continue com o serviço se você perceber que sua cabeça está em outro lugar. Esta simples atitude pode salvar sua integridade física e até mesmo a sua vida.

2 – Conhecer a sua rotina de trabalho é fundamental

Todo tipo de trabalho exige atenção, por mais simples que ele possa ser.

Infelizmente, cada tipo de trabalho possui os seus riscos ao trabalhador, alguns apenas com riscos de doenças ocupacionais outros com riscos bem mais sérios.

Por conta disso, conhecer exatamente a sua rotina de trabalho e o ambiente em que você executa sua função é de extrema importância.

Isso faz com que você tenha pleno conhecimento dos riscos aos quais está exposto, podendo minimizar as chances de acontecer algum tipo de acidente de trabalho.

3 – Priorize o conforto e bem estar para execução de suas funções

Os fatores ergonômicos também podem estar associados a redução de acidentes de trabalho, tudo isso porque o conforto no ambiente de trabalho está diretamente ligado a saúde física e mental do funcionário.

Não apenas o ambiente em si, mas as ferramentas de trabalho também devem oferecer conforto para a execução de suas tarefas, sempre visando o bem estar do trabalhador.

4 – Realize suas tarefas sem pressa

A pressa, além de inimiga da perfeição, também é inimiga da segurança do trabalhador.

Realize o trabalho dentro de seus limites, alcanço suas metas de produtividade, mas nunca despreze as normas de segurança para sua execução.

Ela é inimiga da segurança. Deve-se fazer o trabalho, observando, é claro, a produtividade, o alcance das metas, mas sem atropelar as normas de segurança do trabalho.

evitar acidentes de trabalho

5 – Não realize atividades fora de sua função

Não tome atitudes que possam te expor a acidentes de trabalho. Nunca exerça atividades que estão fora de sua função, a qual você recebeu treinamentos e orientações aos riscos.

Realizar estas atividades avulsas podem causar sérios acidentes de trabalho. Preze sempre pela sua integridade.

Caso note algo que necessite ser feito, chame a pessoa responsável por aquela atividade.

6 – Contribua para a melhoria da segurança das atividades

Mantenha sempre os responsáveis pela segurança local informados sobre os riscos que estão sendo observados durante a execução de sua tarefa e que ainda não há medidas de proteção inclusas.

7 – Fornecimento e substituição de EPIs e EPCs são de responsabilidade da empresa

A empresa deve ser responsável pelo fornecimento de Equipamentos de Proteção Individuais (EPI) e também de Equipamentos de Proteção Coletivo (EPC) a todos os funcionários.

A troca destes equipamentos quando atingirem o fim de sua vida útil também é de responsabilidade da empresa.

A utilização de EPIs e EPCs adequados a cada rotina de trabalho também deve ser levado em conta.

Não apenas com a presença da fiscalização, mas isso deve ser adotado como uma rotina do próprio trabalhador.

8 – Analise o funcionamento de seus equipamentos

É indispensável que antes de executar qualquer tipo de serviço dentro da empresa, você analise o andamento dos equipamentos a serem utilizados.

Como você já tem uma rotina e uso com eles, certamente irá perceber se algo estiver errado ou diferente do comum.

Caso perceba, informe imediatamente aos responsáveis e não execute a sua função até que tudo esteja em perfeito funcionamento.

Deixe um comentário