EPC: conheça as vantagens e veja exemplos

Os EPCs têm papel fundamental no controle dos riscos presentes no ambiente de trabalho, sendo uma das principais medidas adotadas pelo sistema de saúde e segurança do trabalho desenvolvida nas empresas.

O seu intuito é a prevenção de acidentes e a promoção da saúde ocupacional, através da redução, neutralização ou eliminação direta das fontes de riscos de um ambiente de trabalho, tornando-o saudável e seguro para todos os trabalhadores.

Com uma implementação eficaz dos EPCs, atuando diretamente nas fontes de risco do ambiente de trabalho, é possível eliminar a insalubridade de um ambiente, tornando-o seguro para os trabalhadores realizarem suas atividades.

Portanto, os EPCs devem possuir um foco prioritário na implementação do sistema de segurança da empresa, sendo sempre renovado e atualizado, para que englobe todos os riscos do local.

Leia também sobre: PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

O que é EPC?

Equipamentos de Proteção Coletiva, os EPCs são medidas de controle coletivo implementados no ambiente de trabalho, com fins preventivos e de promoção da saúde ocupacional.

A adoção dos EPCs no ambiente de trabalho é o primeiro passo para a implementação das medidas de controle, sendo um dos focos principais do combate aos riscos presente no ambiente de trabalho.

Equipamentos de Proteção Coletiva

Para que serve o EPC

Os EPCs têm uma função vital para o controle, a redução ou eliminação dos riscos presentes no ambiente de trabalho.

Ao adequar uma medida de controle coletiva, é possível reduzir ou eliminar completamente um risco que contenha potencial de causar danos à saúde ou acidentes de trabalho.

Desta forma, o objetivo da implementação dos EPCs é a promoção da saúde ocupacional e da segurança do trabalho.

Exemplos de EPC

Existem diversos tipos de EPCs, sendo que a sua implementação varia de acordo com o tipo de risco em que ele irá atuar. Podemos citar, como exemplos:

  • A instalação de corrimãos em escadas, reduzindo ou eliminando o risco de quedas;
  • A instalação de exaustores e ventiladores em ambientes que contenham poeira, reduzindo o excesso de partículas aerodispersóides e promovendo a circulação do ar.
  • Sinalizações adicionadas no local de trabalho, descrevendo os riscos presentes no local e quais medidas devem ser tomadas, bem como os EPIs que devem ser utilizados no local;
  • Sistemas de combate a incêndio, tais como hidrantes, extintores e etc.
  • O isolamento acústico em fontes de ruídos
  • Sirenes de alertas

Vantagens do uso do EPC

A implementação dos EPCs é vital para a eliminação ou redução dos riscos ambientais. Através dela, é possível reduzir o foco de emissão de riscos ambientais, sejam eles de origem química, física, biológica, de acidentes ou ergonômicos,

Ao aplicar corretamente, os EPCs podem neutralizar a maior parte dos riscos presentes no ambiente de trabalho, promovendo a saúde e a segurança de todas as pessoas presentes no local.

Importância do EPC

A implementação das medidas de controle tem uma importância vital para a saúde e segurança dos trabalhadores e pessoas expostas nos ambientes de trabalho.

Podemos dizer que, em sua vasta maioria, as atividades exercidas nas empresas geram riscos ocupacionais a saúde e a segurança. Esses riscos podem ser de natureza física, química, biológica, ergonômica ou acidentes.

Desta forma, ao implementar os EPCs, é possível desenvolver um controle dos riscos no próprio ambiente de trabalho, proporcionando uma redução geral no risco do ambiente de trabalho e beneficiando coletivamente todas as pessoas que circulam pelo local.

Por exemplo, digamos que um equipamento gere ruídos que ultrapassem os limites de tolerância, que segundo a NR 15 sobre Atividades Insalubres, define a exposição máxima de 85 dB em uma jornada de trabalho de 8 horas.

Ao implementar um EPC que seja capaz de reduzir essa emissão de ruído, reduzindo-o para níveis considerados seguros, podemos dizer que o ambiente deixou de ser um local de trabalho insalubre.

A insalubridade pode ser totalmente eliminada, desde que todos os riscos estejam abaixo do descrito na NR 15, promovendo a segurança coletiva, eliminando os custos adicionais de indenização, os riscos à saúde ocupacional dos trabalhadores e, dependendo da situação, até mesmo custos adicionais com equipamentos de proteção individual.

Portanto, a implementação de medidas de controle coletivo é o primeiro passo a ser estabelecido na aplicação de um sistema de segurança e saúde do trabalho.

Diferença entre EPC e EPI

Os Equipamentos de Proteção Individual, EPI, são medidas de controle utilizados para proteger o trabalhador da exposição a um risco do ambiente de trabalho. Da mesma forma que os EPCs, os EPIs têm o intuito de garantir a segurança e a preservação do trabalhador ao realizar um trabalho.

Porém, a aplicação de ambas as medidas possui um foco distinto. Enquanto os EPCs atuam diretamente nas fontes de risco do ambiente de trabalho, reduzindo, neutralizando ou eliminando os riscos gerados pela atividade, promovendo um ambiente de trabalho mais seguro e saudável a todos os trabalhadores, os EPIs são medidas de controle individual, sendo que cada risco requer a utilização de um equipamento especifico para o seu controle.

Desta forma, para realizar uma atividade segura, o primeiro passo que deve ser seguido é a implementação dos EPCs, controlando de maneira geral, todos os riscos presentes no ambiente de trabalho, reduzindo-os a níveis seguros ou eliminando-os completamente.

Após aplicar todas as medidas de controle coletivo possíveis, deve-se realizar uma análise dos riscos que possuem potencial de causar danos à saúde do trabalhador ou acidentes do trabalho, e definir quais serão as medidas de controle individual que devem ser utilizadas, garantindo a possível realização segura de todos os procedimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *