O que é Hazop? Conheça exemplos em Segurança do Trabalho

Você já ouviu falar em Hazop? Conhece a importância do mesmo para a segurança do trabalho?

Caso não tenha conhecimento sobre o assunto, continue a leitura do post para mais informações.

A palavra Hazop é inglesa e significa Hazard and Operability Study, ou seja, Estudo de Perigos e Operabilidade. Esse conceito foi desenvolvido em meados dos anos 60, no Reino Unido.

O que é Hazop?

Hazop é uma metodologia qualitativa com objetivo de identificar riscos associados ao processo de produtividade. A ideia é realizar uma investigação minuciosa para identificar problemas que possam afetar a qualidade e os resultados de determinada empresa.

Após realizar a investigação, são tomadas medidas para corrigir e prevenir os problemas encontrados, sendo que, a Hazop foca principalmente em dois segmentos:

  • Riscos: algo que comprometa a segurança e integridade dos funcionários, ambiente de trabalho, meio ambiente e equipamentos por exemplo;
  • Problemas de operabilidade: algo que afeta a produtividade.

Além de identificar os problemas, o Hazop investiga as causas e consequências, e mostra planos de correção e prevenção.

Como surgiu o Hazop?

A técnica foi adotada pela primeira vez há muito tempo, no Reino Unido, no extinto Imperial Chemical Industries, por volta da década de 60.

O Hazop foi criado para ser aplicado continuamente, porém com algumas adaptações é possível aplicá-lo esporadicamente.

Para que serve o Hazop

O Estudo de Perigo e Operabilidade serve para investigar intensamente os pontos específicos de um processo, onde a principal finalidade é descobrir os problemas de determinado setor, identificando suas causas e consequências e propondo formas de resolver os problemas encontrados.

Processos e etapas do Hazop

O procedimento do Hazop deve ser feito por uma equipe multidisciplinar de no máximo seis a oito profissionais. As áreas de atuação desses profissionais podem variar conforme o momento da implementação da ferramenta, que pode ser em uma planta ainda em fase de construção ou em um projeto já existente ou pronto.

Vale lembrar que só é possível implementar o Hazop em projetos não concluídos caso tenha o P&ID (Diagramas de Tubulação e Instrumentação) atualizado. Caso o P&ID esteja incorreto, o Hazop se torna inútil.

São indispensáveis vários tipos de documentos como:

  • Fluxogramas de engenharia (P&ID);
  • Fluxograma de processos e balanço de materiais;
  • Memoriais descritivos como a filosofia do projeto;
  • Dados dos equipamentos da instalação;
  • Dados de projetos de instrumentos, válvulas de controle;
  • Especificações e padrões dos materiais das tubulações;
  • Diagrama lógico de intertravamento;
  • Matrizes de causa e efeito;
  • Diagrama elétrico;
  • Especificações de itens como vapor, água de refrigeração e ar comprimido e outros.

Etapas de aplicação do Hazop

As etapas de aplicação do Hazop são:

  • Identificar os problemas e as possíveis causas e consequências;
  • Identificar as possíveis formas de evitar ou minimizar os problemas;
  • Avaliar a prevalência de acidentes e elaborar recomendações práticas e básicas para reduzir tais riscos;
  • Elaborar relatórios de conclusão dentre determinados períodos.

Exemplos de Hazop

o que é hazop

São exemplos de Hazop: temperatura, pressão, fluxo, viscosidade, nível e reação.

Dentre esses conceitos são estabelecidos níveis de gravidade dentro de determinado seguimento.

Existem seis palavras guias usadas para graduar os desvios, sendo elas: nenhum, reverso, mais, menos, componentes a mais, mudança na composição e outra condição operacional. Essas palavras guia denunciam os nós, que são onde o processo operacional precisa de correção e/ou controle.

Importância do Hazop na segurança do trabalho

O Hazop promove a maior eficiência da planta, tendo em vista a redução dos riscos de falhas. Isso gera uma maior segurança e confiabilidade ao processo, garantindo controle do início ao fim.

Frente a isso, podemos destacar que, quando o Hazop é bem implementado ele visa a redução de custos, pois é mais barato prevenir riscos, que arcar com as consequências de um acidente por exemplo.

As possíveis falhas que o processo estará suscetível, estarão todas mapeadas e com planos para sua prevenção e identificação, tornando fácil analisar tais processos e suas causas e consequências.

A técnica Hazop é de extrema importância para a coordenação do processo, pois ela permite identificar precocemente os ambientes mais prováveis a sofrer com a falhas. Dessa forma, é possível analisar os problemas antes do tempo e gerar uma correção a tempo, antes que algo inesperado e indesejado aconteça.

Como implementar essa metodologia na empresa?

O primeiro passo é montar uma equipe multidisciplinar contendo de seis a oito membros, profissionais de diversas áreas, como engenheiro elétrico por exemplo. Em seguida, os colaboradores devem avaliar todo o sistema de trabalho, conhecendo os processos globais e identificando as variáveis no fluxo de procedimentos.

A ideia por trás de trabalhar com uma equipe multidisciplinar é que muitas pessoas são capazes de pensar em mais e melhores soluções para determinados problemas.

Cada pessoa tem uma forma de pensar e analisar as coisas, sendo assim, quando se trabalha em equipe, é possível unir ideias e chegar em um senso comum que agrade e satisfaça à maioria do público.

Vantagens e desvantagens do Hazop

A técnica apresenta muitas vantagens, como a identificação dos riscos e consequências de forma precoce.

A monotonia é um dos pontos fracos da técnica.

Outro ponto importante é se atentar em questões relacionadas com a saúde dos trabalhadores/ colaboradores e com o meio ambiente, pois o fator ergonômico também é de extrema importância nos projetos.

O Estudo de Perigos e Operabilidade complementa os projetos da forma mais completa possível, pois se adapta a gerentes inexperientes, trazendo formas de solucionar problemas e após entregue o projeto se torna possível recorrer a ferramenta para dar durabilidade e manutenção ao produto, visto que o pós projeto é tão importante quanto o momento de implantação.

Já no caso de gerentes experientes, a técnica traz praticidade e dinamismo ao seu trabalho, sendo assim, ele realiza o processo com mais agilidade, dando importância para pontos mais específicos, que são mais importantes em sua área de atuação. Com o auxílio das palavras-guia, sua equipe consegue acompanhá-lo, seguindo a forma estruturada das informações na ferramenta.

 

Deixe um comentário